Dicas de Viagem, Nova York, Viagens

Nyc – Turista x Morador (Parte 1)

Sempre que eu vejo postagens sobre o que visitar em Nyc, eu vejo dicas de lugares que são extremamente turísticos e pouco nova-iorquino de verdade.

Quando você vive um tempinho em NYC, como foi no meu caso, e acaba conhecendo pessoas que já moram lá, você aprende que o Nova-iorquino não é tão clichê.

Ele não é muito de frequentar lugares que os turistas frequentam, pra você ter uma ideia eles odeiam a Times Square, só passam por lá os que realmente precisam, eles valorizam as lojas de bairro, eles têm um ritmo muito próprio e amam também tudo que é diferente. Consequentemente o custo de vida por lá cai, já que fora do circuito turístico tudo é mais barato.

Por isso nesse post quero dividir com vocês dicas, opções e atitudes bem nova-iorquinas para colocarem em prática quando estiverem pela Cidade.

Só que antes de começar as dicas, preciso avisar que o post ficou tão grande que rendeu duas partes, então aqui vai a primeira e a segunda sai na próxima quarta (03/10/2018).

1- Economy Candy

img_3147-1

Eu já falei da Economy Candy aqui no blog.

A Economy Candy é uma loja de doces que fica em Lower East Side, onde você pode encontrar todos os doces do mundo, ou quase todos, a variedade é incrível por lá. E o preço? Melhor ainda.

Essa loja é sua opção a famosa loja da M&Ms na Times.

Então fica a dica, vá a loja da M&M, tire fotos, ande por lá pq a loja é bem legal, mas não compre nada, então pegue o metrô da linha F sentido downtown e desça na estação 2 Avenue Station, saia no lado de Allen St, depois caminhe pela Allen até a rua Rivington e vá até o número 108 onde encontrará a Economy Candy.

SAIA DO BRASIL COM A SEGURANÇA DE UM BOM SEGURO VIAGEM.

2 – Sugar Sweet Sunshine

Aproveitando que está em Lower na mesma rua da Economy Candy, só que no número 126, tem uma lojinha de clima bem negócio de família que vende o melhor banana pudim da vida!!! É simplesmente viciante até pra quem não é muito fã de doces como eu.

Todo mundo manda comer o da Magnólia bakery, mas ele não é tão saboroso quanto esse da Sugar Sweet Sunshine. A Magnólia tem muita fama por causa do seriado Sex and the City, mas é basicamente só isso, não que as coisas lá sejam ruim, não foi isso que quis dizer, mas é bem normalzinha no quesito sabor e bem carinha no quesito bolso, além de estar sempre muito cheia.

3 – Mr. Purple rooftop e 230 Fifth rooftop

Mr. Purple é mais uma dica em Lower East Side, ele fica na Orchard Street, 180. Esse rooftop, o qual eu já fiz uma menção nesse post de coisas imperdíveis em NYC, oferece uma vista incrível de Manhattan. Subir é de graça e as bebidas por lá não são tão caras. O bom desse terraço/bar é que ele é frequentado por locais, poucos turistas conhecem e menos ainda frequentam já que ele fica fora do centrão.

IMG_0428
No Mr. Purple Rooftop – a foto ta embaçada, mas tá valendo

Já o 230 Fifth rooftop é um pouco mais turístico, até pela localização, ele fica na famosa 5ª Avenida, 230 (esquina com a rua 27). Muita gente já descobriu e já explora ele para garantir belas fotos com Empire de fundo, já que ele é bem pertinho. A entrada também é gratuita só que as bebidas são um pouco mais caras, já que ele fica bem no burburinho e já anda bem famosinho. Inclusive soube que agora eles cobram uma consumação mínima para quem fizer reservas para as mesas.

IMG_2678
No 230 Fifth Rooftop – a foto também ta embaçada, mas tá valendo do mesmo jeito

RESERVE SEU HOTEL CLICANDO AQUI.

4 – Arte de Rua

Nyc é cheio de artes urbanas, muitos artistas deixaram sua marca pelas ruas da cidade. Alguns bem famosos até internacionalmente, como o brasileiro Kobra.

Tirar fotos com essas artes é gratuito, garantem momentos de apreço a arte urbana e rende um feed bem colorido no Instagram.

Então vou listar algumas:

Explosão de Amor – Arte do Brasileiro Kobra que pode ser apreciada do alto do Hi …- pode ser visto do alto do The High Line.

IMG_8547.JPG

I love NY  que fica na 6ª avenida com a rua 17. É na enorme parece de um estacionamento e sempre vai sair uns carros de charme na sua foto rsrs.

12346305_431869550335952_1567870156613956998_n

Audrey Hepburn que fica na esquina da Mulberry St. e Broome St em Little Italy. Essa parede é a de um restaurante então é possível que tenha clientes sentados nas poltronas que ficam do lado de fora.

5 – Shake Shack

A rede Shake Shack já é uma rede bem famosa entre os turistas, mas ela merece ser citada aqui, já que existem opções que podem ser menos turísticas.

Todo mundo quer ir na loja número 1 a da Madison Square Park. Pode até ser legal ir lá, eu mesma fui, mas se possível vá um dia de semana, no inverno e no meio da noite, assim será mais fácil ser atendido sem longas filas. Essa loja é crowded (lotada – mencionei em inglês, pois essa é uma palavra muito dita por lá rsrs) demais. Outra dica se for comer na loja da Madison é comer batendo os pés no chão, como não é uma loja fechada e os bancos são os da praça, essa praça tem uma certa população de ratinhos, comum à Cidade, que pode querer chegar perto pela quantidade de lanche pelo chão.

Opte pelas lojas da Astor Place, Upper East Side e outras fora do circuito turístico que poderá encontrar no site.

Só uma observação: a gente quando pensa em Estados Unidos e Fast Food pensamos em Mc Donalds certo?! Mas em NYC os locais não curtem muito essa rede. E para perceberem o quanto fazemos a associação errada o Mc Donalds é que ele não está nem entre as três empresas de fast food mais consumidas do País.

 6 – Comer andando ou em alguma praça

Nova Iorque é mesmo a Cidade da correria, da Cidade da produtividade e do pouco espaço nas construções. Então pegar uma comida e sair comendo e andando ou parar em alguma praça para comer é algo bem comum entre os nova-iorquinos, por isso se misture e repita o rito. Mesmo que você não esteja correndo para voltar ao trabalho como eles, você vai poder apreciar aquele ritmo frenético e ter a sensação de que tudo cabe em 24 horas, basta que você otimize seu tempo como eles o fazem.

7 – Vá além do Central Park

A gente vê muito o Central Park em filmes e acaba resumindo nossa viagem a ele. Não que ele deva sair da sua lista, eu jamais falaria isso, até porque ele é realmente lindo e tem aquela magia no ar, mas vá além dele.

Não se limite! NYC é uma Cidade de muitos parques/praças que podem te surpreender.

Até mesmo na selva de pedra que é Manhattan tem outros parques ótimos como o Bryant Park, localizado entre a 5ª e 6ª avenidas e entre as ruas 40 a 42. Esse parque é sempre cheio de eventos ao longo de todo o ano e se tornou um dos meus parques preferidos na Cidade.

Tem também o Parque logo da descida da ponte do Brooklyn, no Brooklyn. Ótimo para sentar um pouco e apreciar a Ilha de Manhattan do outro lado.

Outro bem legal é o Battery Park, bem ao sul de Manhattan, de onde é possível ver o rio para chegar a Estátua da Liberdade e parte da região sul da ilha, inclusive a torre do One World Trade Center.

Além de muitos outros parques que a Cidade tem a oferecer. Para uma lista completa vou deixar esse link aqui!

8 – Estátua da Liberdade e Cidade iluminada a noite

IMG_0480.JPG

Alguns blogs de viagem já falaram dessa maneira de ver a Estátua da Liberdade, eu mesma já falei aqui. Mas vale reforçar essa opção, pois muita gente ainda não sabe.

É possível ver a estátua da liberdade sem pagar nada por isso e de quebra ver Manhattan iluminada a noite. Como? Existe uma balsa chamada Staten Island Ferry que faz o percurso Manhattan, do terminal Whitehall que fica no extremo sul da ilha, x Staten Island x Manhattan. Esse Ferry realiza esse serviço gratuito durante todo o dia e durante esse percurso é possível ver a Estátua da Liberdade e toda a sua imponência. Claro que você não vai estar tão perto assim, mas pra mim foi o suficiente, eu estava mais disposta a ver como os nova-iorquinos veem e economizar o dinheiro para outra coisa que eu queria mais.

O pulo do gato é fazer essa travessia no meio da tarde. Assim será possível ver a Estátua ainda com iluminação natural, aí você pode dar uma volta por Staten, lugarzinho bem pacato, e voltar na balsa depois que já tiver escurecido, aí você vai ganhar outro presentão que é ver o sul de Manhattan todo iluminado a noite!

Para mais informações sobre o Ferry é só ir no site deles: https://www.siferry.com/

9 – Ande depressa ou dê passagem

O Novaiorquino não anda devagar nunca. Ele é extremamente apressado e se você do nada parar na frente dele pra olhar uma vitrine, por exemplo, corre sério risco de levar uma trombada e receber alguns xingamentos.

Eles seriam então mal educados? Talvez sim, talvez não, é uma questão cultural e vamos combinar, é muito chato quando estamos andando em um ritmo e do nada alguém para no nosso caminho.

Além dessas paradas repentinas eles também são pouco tolerantes com quem anda devagar, exceto pessoas que aparentam realmente ter problema de mobilidade. O ritmo de vida lá é realmente corrido e eles não gostam de perder 1 segundo sequer, então ande depressa ou dê passagem, andando sempre pelo canto da sua mão (como na mão de carro), lembrem-se que nós é que somos os visitantes e que precisamos nos adaptar.

RESERVE SEU CARRO NESSE LINK.

10 – Explore além da ponte do Brooklyn

A famosa ponte que recebe milhares de turistas o ano inteiro é linda realmente. Eu aconselho a fazer a travessia a pé do Brooklyn para Manhattan, pois assim é possível ver a imponência da ilha, mas não se resuma a ponte. Explore toda a região em torno! Os parques na descida da ponte no Brooklyn já são bem visitados e valem sua visitinha também (já até mencionei um deles acima), a eles beiram o rio e é fácil se deslocar de um para o outro.

Tem também a esquina da Washington St com a Water St, de onde é possível tirar aquela famosa foto com a ponte ao fundo. Só um detalhe que a ponte dessa foto é a Manhattan bridge e não a Brooklyn bridge como muita gente pensa. Elas são vizinhas só que a Manhattan bridge não tem a fama de sua companheira.

IMG_0403.JPG

Agora pelo lado da Ilha tem uma parte ainda pouco explorada pelos turistas, o centro cívico de Manhattan, que fica logo na descida da ponte. Da pra explorar aquela parte e até assistir a um julgamento na corte criminal, sabia dessa?!

Outro lugar no lado da ilha, a ser explorado é o parque que fica longitudinal ao Rio, esse lugar é ótimo para fazer caminhadas e apreciar o não tão famoso East river.

11 – Por do sol no Hudson River Park

Esse parque é mais um parque que corre parte do perímetro de um rio, só que dessa fez o famoso Hudson River. Esse parque é tão grande e com tanta coisa pra fazer que eu ficaria um dia inteiro listando o que fazer nele, então para lhe dar detalhes eu vou deixar o site do parque bem aqui!

Esse parque começa na Harrison St e vai até 59 st (do pier 25 ao pier 96). Eu aconselho uma parada estratégica no pier 63, onde há uma área enorme de gramado para sentar e apreciar um belíssimo por do sol. Esse é meu cantinho preferido no parque.

Para explorar todo o parque é preciso disposição para uma caminhada longa ou então você pode alugar uma bicicleta em uma das inúmeras lojas que a Cidade possui.

12 – Manhattanhenge

Essa é muito específica e infelizmente nem todo mundo vai conseguir pegar esse fenômeno. Eu mesma enquanto estive na Cidade, não peguei em nenhum dia.

Esse fenômeno é o solstício de Manhattan, que é quando o sol está alinhado com as ruas de Nova York, então é possível assistir a um por do sol que parece feito sob medida com os arranha-céus.

Como só acontece duas vezes no ano, fique atento às notícias sobre esse assunto quando você estiver lá e corra cedo para o parque High Line pra garantir um lugar no alto e no meio para assistir.

Se gostou dessas primeiras 12 dicas, você não perde por esperar as outras 12. Depois desses 2 posts você vai ser tornar uma Nova-iorquina (o) de verdade.

 

 

Anúncios
Passeios, Viagens, Videos

Vlog: Museu de Arte do Rio e Passeio na Zona Portuária do Rio

Nesse vlog vou dividir com vocês o passeio que fiz no Museu de Arte do Rio, o MAR, e também na Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Espero que gostem desse vlog e me contem quais outros lugares aqui no Rio vocês gostariam de ver aqui e no canal!!!

Viagens

Arte de rua no Rio de Janeiro

Que não é só de praia que vive o Rio de Janeiro muita gente já sabe, o que muitos não sabem é que o Rio também respira arte e Street Arte (Arte de Rua).

Separei algumas artes que em minha opinião, merecem sua visita. Então se você assim como eu gosta de arte de rua, anota aí esse circuito que vou te passar aqui nesse post!

Mural Etnias

13925264_1083237381764932_3654888707165506248_n

O Mural Etnias, foi criado pelo artista mais famoso e um dos mais talentosos que temos no Brasil, o paulistano, Kobra. Esse mural foi feito na Zona Portuária do Rio de Janeiro na época da revitalização da área. Esse mural é atualmente o maior mural de grafite do mundo, já declarado pelo Guinness Book.

 Escadaria Carmem Miranda

maxresdefault
Foto: Divulgação – http://serhurbano.com.br/carmenmiranda

Essa pouca gente conhece. Eu também ainda não tive a oportunidade de visitar, mas com certeza já entrou na minha lista. Escadaria no bairro de Fátima, zona central do Rio de Janeiro, foi pintada pelo grupo SerHumano.

Mural Projeto Social Dançar a Vida

painel
Foto: Arquivo Pessoal-Kobra

Esse foi a primeira arte que o Kobra fez no Rio de Janeiro.  Esse mural fica na Tijuca, na sede do projeto no bairro. A imagem retrata dois bailarinos do projeto social e é belíssima.

Escadaria Selarón

santa_teresa
foto: http://www.rjnoticias.com

A escadaria Selarón leva esse nome, pois o artista que nos presenteou com sua obra se chamava Jorge Selarón, um chileno erradicado e apaixonado pelo Rio de Janeiro. A arte toda em azulejos levou anos para ficar como está hoje e é tombada como patrimônio histórico desde 2005. O local é conhecido internacionalmente e não pode ficar de fora da sua visita. A escadaria liga a Rua Joaquim Silva na Lapa ao convento de Santa Teresa em Santa Teresa.

Parque Madureira       


Saindo um pouco da região central e indo em direção a Zona Norte, mas precisamente no reduto do Samba, Madureira, também é possível apreciar arte de rua no subúrbio carioca. O Parque de Madureira ganhou alguns painéis de grafite que valem ser visitados e que dão boas fotos.

Azulejos de Cândido Portinari

palacio-gustavo-de-capanema
foto: http://www.agenciaaddress.com

Candido Portinari também deixou sua marca em rua do Rio de Janeiro. Um dos maiores artistas brasileiros, com reconhecimento internacional também deixou para a população carioca um presente em forma de arte que pode ser visto nas paredes do Palácio Gustavo Capanema no centro do Rio de Janeiro.

Mural na Saúde

alf3
foto: http://virusdaarte.net

 

Já foi o maior mural do Rio de Janeiro. Feito pelo artista baiano Toz, é um mural bastante divertido com muitas figuras e bastante cor. Transmite um certo caos alegre.

Mural de Rita Wainer

Rita Wainer deixou de lado o mundo da moda para se dedicar a arte e ela já deixou sua marca na Zona Portuária do Rio de Janeiro. Uma obra romântica, um tanto quanto melancólica e bonita de se apreciar.

A Zona Portuária do Rio tem muito mais arte de rua para oferecer, é possível passar um dia inteiro lá apreciando arte de rua. Aqui eu só listei algumas das obras que você pode conhecer pela Cidade, mas eu te aconselho a explorar muito mais simplesmente andando pelas ruas e observando cada detalhe.

Ah galera meu ig mudou, agora é https://www.instagram.com/michelenorio/