Passeios, Sabores

Cota 200 Restaurante – Morro da Urca

Quem me acompanha lá nas redes sociais pode ver que segunda passada foi aniversário do meu pai e que ele escolheu almoçar em um restaurante no Morro da Urca para comemorar mais um ano de vida.


O morro da Urca é o primeiro morro do famoso Pão de Açúcar que é o nome do segundo morro. O restaurante Cota 200, está localizado lá no topo do morro da Urca a mais de 200 metros acima do nível do mar, oferecendo toda a exuberância da beleza do Rio como vista.

O restaurante é relativamente novo no lugar, eu lembro que fui ao Moro da Urca a última vez a cerca de 9 anos e ele não estava lá, mas já tem alguns anos que meu pai desejava conhecer e nós sempre enrolávamos por ter que subir ao morro rsrs. Quem faz reserva no restaurante não paga a subida do bondinho ao primeiro morro e após a refeição basta apresentar os tickets, que lhe foram entregues na subida, para o garçom e ele irá validar a descida.


Subimos e fomos direto para o restaurante que estava vazio, tinha apenas umas 4 mesas ocupadas com poucas pessoas, mas também era segunda –feira.  O restaurante tem um ambiente bem agradável com mesas espaçosas e uma decoração bem  requintada com tons de cinza, branco e preto.

Para a entrada pedimos um Palmito Ecológico assado na casca e gratinado com queijo colonial, acompanhando de uma salada de folhas e flores. Esse prato estava uma delícia, ele vem bem servido com um grande pedaço de palmito em 2 partes com o queijo gratinado por cima e a salada ao centro. O Palmito estava macio e bem saboroso, mas a atenção ficou para o queijo gratinado é saborosíssimo .


Já no prato principal cada um pediu um prato diferente. Minha irmã e mãe pediram uma picanha de sol que estava com uma aparência ótima e segundo elas com o sabor melhor ainda, meu pai pediu um medalhão que me deixou com água na boa de apetitoso que estava (quem me conhece sabe que sou amante de carne vermelha) e eu escolhi um camarão VG grelhado com risoto Zafferano, gran formaggio e tomatinhos confit.

O meu prato estava D-I-V-I-N-O. A única coisa que eu conhecia era o camarão, mas como gosto de provar coisas diferentes, me arrisquei e não me arrependi. O Risoto de Zafferano é um risoto com vinho branco e açafrão, o meu tipo de vinho preferido com um dos meus temperos preferidos, não podia ser melhor. Já o Gran Formaggio é um tipo de queijo que ornava super bem com o prato. Tudo no ponto certo e muito suculento, só faltou um pouco de sal no camarão, para o meu gosto, já que eu gosto de comida um pouco mais salgada.


Para beber nós pedimos um vinho branco da região sul do Brasil, L.A. SAUVIGNON BLANC da safra de 2015, que nos foi indicado pelo garçom como um dos carros chefes da casa, um vinho do qual eles não tem reclamação, e realmente não tivemos o que reclamar.  A carta de vinhos do restaurante é digital e separada por uva, País, tipo de vinho, o que facilita muito a busca pelo vinho perfeito. Quando você abre os detalhes do vinho, vem dizendo a origem, safra, com o tipo de comida que combina, o fabricante, porcentagem de álcool e o preço.


Para a sobremesa, somente eu e minha Irmã dividimos um mouse de chocolate duo com um sorvete de coco. Junto ao sorvete vieram raspas de coco torrado que deu uma leve crocância ao sorvete. O Mouse também estava bem saboroso e contrastava com o doce do sorvete já que era meio amargo.


Agora vocês querem saber no preço né, todo mundo quer saber dessa parte. É claro que para comer assim é necessário dar uma coçadinha no bolso, já que uma refeição dessa não sai por menos de R$ 100,00 por pessoa. Claro que também dá pra gastar menos se não pedir uma garrafa de vinho e se não pedir entrada por exemplo. E se vale o que pagamos? Sim, vale muito, pela vista e pelos sabores.


Depois da refeição ainda ficamos um pouco apreciando o Rio de Janeiro lá de cima, em um dia de turistas ao lado das pessoas que mais amamos, uns aos outros.

 

Destinos, Passeios

Veículo Leve sobre Trilhos no Rio de Janeiro

Vim contar minha primeira experiência e minhas primeiras impressões no VLT carioca. Esse novo modelo de transporte coletivo começou suas atividades no início de junho de 2016 e já está dando o que falar.

13619798_1063418180413519_727627863060197661_n

As obras que aconteciam e ainda acontecem na região Central do Rio de Janeiro já deixou muita gente enlouquecida com os engarrafamentos e os desvios intermináveis, mas ele chegou pra ficar e facilitar. Ligar trechos da Região Central do Rio de Janeiro que era bem deficiente de um transporte eficaz. Ele veio para nos deixar fora dos engarrafemos e das demoras em curtos deslocamentos. Eu, já há bastante tempo, que preferi me deslocar pelo centro a pé, muitas vezes é até mais rápido, mas agora com esse transporte acho que vou repensar minhas escolhas.

Ainda tem linhas a ficarem prontas e ainda não funciona no horário integral, mas já é possível ter proveito desde sua inauguração.

O VLT funcionou por todo o mês de Junho de forma gratuita, mas a partir de 01 de julho o transporte tem o valor de R$ 3,70 por viagem.

Vou separar em dois tópicos: Pontos Positivos e Pontos Negativos.

 
Pontos positivos: 

Silencioso – O veículo é super silencioso, o que deixa a viagem bem mais agradável;

Rapidez – apesar de fazer algumas paradas em sinais de trânsito, é mais rápido o deslocamento via VLT do que por outro meio de transporte nessa região;

Horário de Funcionamento – O horário previsto para funcionamento é de 24 horas por dia;

Trechos atendidos – Abrange uma área que estava bem carente de um transporte eficaz;

Pontos de Parada – Os pontos são bem estratégicos.

 
Pontos Negativos:

As plataformas de embarque e desembarque – São bem estreitas, e quando cheias ficam muito desconfortável e até perigoso para cair na linha.

Porta para embarque e desembarque – Elas não são automáticas, o passageiro deve apertar um botão para que a porta abra. O botão é digital e sensível e isso significa que diversas pessoas apertando com intensidades diferentes vão quebrar esse dispositivo;

Barras para segurar – São muito altas e ausentes em algumas partes do trem, mas isso pode ser resolvido com aqueles adaptadores.

  • Tem um ponto pra mim que é uma ambigüidade, ele é positivo, mas também pode ser bem negativo, tudo depende da população. A Forma de Pagamento da passagem, não haverá cobrador, o passageiro deve comprar o bilhete nos guichês ou usar o bilhete único e passar no cobrador eletrônico dentro do trem. Haverá fiscais em alguns trens e se alguém não pagar poderá pagar uma multa. Bom, como eu disse, só depende da educação e honestidade de seus usuários.

Eu espero que tenham gostado e aproveitem esse novo transporte!!!!

Destinos, Passeios

Monte Stanserhorn na Suíça

Oi gente,

Que tal um bondinho conversível?

 

O Monte Stanserhorn fica no cantão de Nidwalden perto de Lucerna na Suíça, tem 1.898 metros e uma bela vista para parte dos Alpes Suíços e lagos.

Bergstation
Foto: Stanserhorn-Bahn

Sabe como chegar até lá? De teleférico. Um bondinho vai leva-lo até a estação intermediária e então você vai embarcar no CabriO, por um trajeto de 2,8 km que dura cerca de 6 minutos. O CabriO é o primeiro bondinho com o segundo andar conversível do mundo (segundo seu operador), e pode transportar até 30 pessoas na parte aberta e mais 30 na parte de baixo.

tour-stanserhorn3
Foto: Stanserhorn-Bahn
02_cabrio_stanserhorn
Foto: Stanserhorn-Bahn

Já lá em cima do monte é possível se deslumbrar com a bela paisagem de 3 Países e aproveitar a ótima estrutura oferecida no restaurante.

Já pensou em fazer essa subida tendo mais contato com a natureza? Pra mim já seria difícil subir na parte fechada imagina na aberta. Eu acho lindo mas não tenho coragem, rsrsrsrs.

Até a próxima!!! 😉