Dicas de Viagem, Nova York, Viagens

Nyc – Turista x Morador (Parte 1)

Sempre que eu vejo postagens sobre o que visitar em Nyc, eu vejo dicas de lugares que são extremamente turísticos e pouco nova-iorquino de verdade.

Quando você vive um tempinho em NYC, como foi no meu caso, e acaba conhecendo pessoas que já moram lá, você aprende que o Nova-iorquino não é tão clichê.

Ele não é muito de frequentar lugares que os turistas frequentam, pra você ter uma ideia eles odeiam a Times Square, só passam por lá os que realmente precisam, eles valorizam as lojas de bairro, eles têm um ritmo muito próprio e amam também tudo que é diferente. Consequentemente o custo de vida por lá cai, já que fora do circuito turístico tudo é mais barato.

Por isso nesse post quero dividir com vocês dicas, opções e atitudes bem nova-iorquinas para colocarem em prática quando estiverem pela Cidade.

Só que antes de começar as dicas, preciso avisar que o post ficou tão grande que rendeu duas partes, então aqui vai a primeira e a segunda sai na próxima quarta (03/10/2018).

1- Economy Candy

img_3147-1

Eu já falei da Economy Candy aqui no blog.

A Economy Candy é uma loja de doces que fica em Lower East Side, onde você pode encontrar todos os doces do mundo, ou quase todos, a variedade é incrível por lá. E o preço? Melhor ainda.

Essa loja é sua opção a famosa loja da M&Ms na Times.

Então fica a dica, vá a loja da M&M, tire fotos, ande por lá pq a loja é bem legal, mas não compre nada, então pegue o metrô da linha F sentido downtown e desça na estação 2 Avenue Station, saia no lado de Allen St, depois caminhe pela Allen até a rua Rivington e vá até o número 108 onde encontrará a Economy Candy.

SAIA DO BRASIL COM A SEGURANÇA DE UM BOM SEGURO VIAGEM.

2 – Sugar Sweet Sunshine

Aproveitando que está em Lower na mesma rua da Economy Candy, só que no número 126, tem uma lojinha de clima bem negócio de família que vende o melhor banana pudim da vida!!! É simplesmente viciante até pra quem não é muito fã de doces como eu.

Todo mundo manda comer o da Magnólia bakery, mas ele não é tão saboroso quanto esse da Sugar Sweet Sunshine. A Magnólia tem muita fama por causa do seriado Sex and the City, mas é basicamente só isso, não que as coisas lá sejam ruim, não foi isso que quis dizer, mas é bem normalzinha no quesito sabor e bem carinha no quesito bolso, além de estar sempre muito cheia.

3 – Mr. Purple rooftop e 230 Fifth rooftop

Mr. Purple é mais uma dica em Lower East Side, ele fica na Orchard Street, 180. Esse rooftop, o qual eu já fiz uma menção nesse post de coisas imperdíveis em NYC, oferece uma vista incrível de Manhattan. Subir é de graça e as bebidas por lá não são tão caras. O bom desse terraço/bar é que ele é frequentado por locais, poucos turistas conhecem e menos ainda frequentam já que ele fica fora do centrão.

IMG_0428
No Mr. Purple Rooftop – a foto ta embaçada, mas tá valendo

Já o 230 Fifth rooftop é um pouco mais turístico, até pela localização, ele fica na famosa 5ª Avenida, 230 (esquina com a rua 27). Muita gente já descobriu e já explora ele para garantir belas fotos com Empire de fundo, já que ele é bem pertinho. A entrada também é gratuita só que as bebidas são um pouco mais caras, já que ele fica bem no burburinho e já anda bem famosinho. Inclusive soube que agora eles cobram uma consumação mínima para quem fizer reservas para as mesas.

IMG_2678
No 230 Fifth Rooftop – a foto também ta embaçada, mas tá valendo do mesmo jeito

RESERVE SEU HOTEL CLICANDO AQUI.

4 – Arte de Rua

Nyc é cheio de artes urbanas, muitos artistas deixaram sua marca pelas ruas da cidade. Alguns bem famosos até internacionalmente, como o brasileiro Kobra.

Tirar fotos com essas artes é gratuito, garantem momentos de apreço a arte urbana e rende um feed bem colorido no Instagram.

Então vou listar algumas:

Explosão de Amor – Arte do Brasileiro Kobra que pode ser apreciada do alto do Hi …- pode ser visto do alto do The High Line.

IMG_8547.JPG

I love NY  que fica na 6ª avenida com a rua 17. É na enorme parece de um estacionamento e sempre vai sair uns carros de charme na sua foto rsrs.

12346305_431869550335952_1567870156613956998_n

Audrey Hepburn que fica na esquina da Mulberry St. e Broome St em Little Italy. Essa parede é a de um restaurante então é possível que tenha clientes sentados nas poltronas que ficam do lado de fora.

5 – Shake Shack

A rede Shake Shack já é uma rede bem famosa entre os turistas, mas ela merece ser citada aqui, já que existem opções que podem ser menos turísticas.

Todo mundo quer ir na loja número 1 a da Madison Square Park. Pode até ser legal ir lá, eu mesma fui, mas se possível vá um dia de semana, no inverno e no meio da noite, assim será mais fácil ser atendido sem longas filas. Essa loja é crowded (lotada – mencionei em inglês, pois essa é uma palavra muito dita por lá rsrs) demais. Outra dica se for comer na loja da Madison é comer batendo os pés no chão, como não é uma loja fechada e os bancos são os da praça, essa praça tem uma certa população de ratinhos, comum à Cidade, que pode querer chegar perto pela quantidade de lanche pelo chão.

Opte pelas lojas da Astor Place, Upper East Side e outras fora do circuito turístico que poderá encontrar no site.

Só uma observação: a gente quando pensa em Estados Unidos e Fast Food pensamos em Mc Donalds certo?! Mas em NYC os locais não curtem muito essa rede. E para perceberem o quanto fazemos a associação errada o Mc Donalds é que ele não está nem entre as três empresas de fast food mais consumidas do País.

 6 – Comer andando ou em alguma praça

Nova Iorque é mesmo a Cidade da correria, da Cidade da produtividade e do pouco espaço nas construções. Então pegar uma comida e sair comendo e andando ou parar em alguma praça para comer é algo bem comum entre os nova-iorquinos, por isso se misture e repita o rito. Mesmo que você não esteja correndo para voltar ao trabalho como eles, você vai poder apreciar aquele ritmo frenético e ter a sensação de que tudo cabe em 24 horas, basta que você otimize seu tempo como eles o fazem.

7 – Vá além do Central Park

A gente vê muito o Central Park em filmes e acaba resumindo nossa viagem a ele. Não que ele deva sair da sua lista, eu jamais falaria isso, até porque ele é realmente lindo e tem aquela magia no ar, mas vá além dele.

Não se limite! NYC é uma Cidade de muitos parques/praças que podem te surpreender.

Até mesmo na selva de pedra que é Manhattan tem outros parques ótimos como o Bryant Park, localizado entre a 5ª e 6ª avenidas e entre as ruas 40 a 42. Esse parque é sempre cheio de eventos ao longo de todo o ano e se tornou um dos meus parques preferidos na Cidade.

Tem também o Parque logo da descida da ponte do Brooklyn, no Brooklyn. Ótimo para sentar um pouco e apreciar a Ilha de Manhattan do outro lado.

Outro bem legal é o Battery Park, bem ao sul de Manhattan, de onde é possível ver o rio para chegar a Estátua da Liberdade e parte da região sul da ilha, inclusive a torre do One World Trade Center.

Além de muitos outros parques que a Cidade tem a oferecer. Para uma lista completa vou deixar esse link aqui!

8 – Estátua da Liberdade e Cidade iluminada a noite

IMG_0480.JPG

Alguns blogs de viagem já falaram dessa maneira de ver a Estátua da Liberdade, eu mesma já falei aqui. Mas vale reforçar essa opção, pois muita gente ainda não sabe.

É possível ver a estátua da liberdade sem pagar nada por isso e de quebra ver Manhattan iluminada a noite. Como? Existe uma balsa chamada Staten Island Ferry que faz o percurso Manhattan, do terminal Whitehall que fica no extremo sul da ilha, x Staten Island x Manhattan. Esse Ferry realiza esse serviço gratuito durante todo o dia e durante esse percurso é possível ver a Estátua da Liberdade e toda a sua imponência. Claro que você não vai estar tão perto assim, mas pra mim foi o suficiente, eu estava mais disposta a ver como os nova-iorquinos veem e economizar o dinheiro para outra coisa que eu queria mais.

O pulo do gato é fazer essa travessia no meio da tarde. Assim será possível ver a Estátua ainda com iluminação natural, aí você pode dar uma volta por Staten, lugarzinho bem pacato, e voltar na balsa depois que já tiver escurecido, aí você vai ganhar outro presentão que é ver o sul de Manhattan todo iluminado a noite!

Para mais informações sobre o Ferry é só ir no site deles: https://www.siferry.com/

9 – Ande depressa ou dê passagem

O Novaiorquino não anda devagar nunca. Ele é extremamente apressado e se você do nada parar na frente dele pra olhar uma vitrine, por exemplo, corre sério risco de levar uma trombada e receber alguns xingamentos.

Eles seriam então mal educados? Talvez sim, talvez não, é uma questão cultural e vamos combinar, é muito chato quando estamos andando em um ritmo e do nada alguém para no nosso caminho.

Além dessas paradas repentinas eles também são pouco tolerantes com quem anda devagar, exceto pessoas que aparentam realmente ter problema de mobilidade. O ritmo de vida lá é realmente corrido e eles não gostam de perder 1 segundo sequer, então ande depressa ou dê passagem, andando sempre pelo canto da sua mão (como na mão de carro), lembrem-se que nós é que somos os visitantes e que precisamos nos adaptar.

RESERVE SEU CARRO NESSE LINK.

10 – Explore além da ponte do Brooklyn

A famosa ponte que recebe milhares de turistas o ano inteiro é linda realmente. Eu aconselho a fazer a travessia a pé do Brooklyn para Manhattan, pois assim é possível ver a imponência da ilha, mas não se resuma a ponte. Explore toda a região em torno! Os parques na descida da ponte no Brooklyn já são bem visitados e valem sua visitinha também (já até mencionei um deles acima), a eles beiram o rio e é fácil se deslocar de um para o outro.

Tem também a esquina da Washington St com a Water St, de onde é possível tirar aquela famosa foto com a ponte ao fundo. Só um detalhe que a ponte dessa foto é a Manhattan bridge e não a Brooklyn bridge como muita gente pensa. Elas são vizinhas só que a Manhattan bridge não tem a fama de sua companheira.

IMG_0403.JPG

Agora pelo lado da Ilha tem uma parte ainda pouco explorada pelos turistas, o centro cívico de Manhattan, que fica logo na descida da ponte. Da pra explorar aquela parte e até assistir a um julgamento na corte criminal, sabia dessa?!

Outro lugar no lado da ilha, a ser explorado é o parque que fica longitudinal ao Rio, esse lugar é ótimo para fazer caminhadas e apreciar o não tão famoso East river.

11 – Por do sol no Hudson River Park

Esse parque é mais um parque que corre parte do perímetro de um rio, só que dessa fez o famoso Hudson River. Esse parque é tão grande e com tanta coisa pra fazer que eu ficaria um dia inteiro listando o que fazer nele, então para lhe dar detalhes eu vou deixar o site do parque bem aqui!

Esse parque começa na Harrison St e vai até 59 st (do pier 25 ao pier 96). Eu aconselho uma parada estratégica no pier 63, onde há uma área enorme de gramado para sentar e apreciar um belíssimo por do sol. Esse é meu cantinho preferido no parque.

Para explorar todo o parque é preciso disposição para uma caminhada longa ou então você pode alugar uma bicicleta em uma das inúmeras lojas que a Cidade possui.

12 – Manhattanhenge

Essa é muito específica e infelizmente nem todo mundo vai conseguir pegar esse fenômeno. Eu mesma enquanto estive na Cidade, não peguei em nenhum dia.

Esse fenômeno é o solstício de Manhattan, que é quando o sol está alinhado com as ruas de Nova York, então é possível assistir a um por do sol que parece feito sob medida com os arranha-céus.

Como só acontece duas vezes no ano, fique atento às notícias sobre esse assunto quando você estiver lá e corra cedo para o parque High Line pra garantir um lugar no alto e no meio para assistir.

Se gostou dessas primeiras 12 dicas, você não perde por esperar as outras 12. Depois desses 2 posts você vai ser tornar uma Nova-iorquina (o) de verdade.

 

 

Anúncios